O segmento que apresentou maior crescimento na distribuição de direitos autorais foi o de Cinema, com mais de 400% de aumento no valor total repassado.

Os artistas podem comemorar os números do ano que passou: mesmo em meio a uma crise econômica, o trabalho de associações de música e do Ecad de conscientizar a sociedade sobre o pagamento de direitos autorais resultou em grandes cifras para a cadeia produtiva da música.

Foram distribuídos R$ 971 milhões em direitos autorais para artistas e demais titulares, além das associações. A quantidade de beneficiados teve um aumento de 25%, indo de 259 mil (2017) para mais de 326 mil compositores, intérpretes, músicos, editoras e gravadoras remunerados em 2018.

Cerca de 66% do valor total foi repassado ao repertório nacional, contribuindo para o fortalecimento da indústria musical brasileira.

Cinema e streaming no topo

O segmento que apresentou maior crescimento na distribuição de direitos autorais foi o de Cinema, com mais de 400% de aumento no valor total repassado. Esse resultado se deve aos expressivos acordos firmados ao longo de 2018 com grupos como a Abraplex, que representa redes como UCI, Cinépolis e Cinesystem.

Em seguida, aparece o segmento de Streaming, que trouxe muitas obras musicais e artistas para a gestão coletiva. Os recentes acordos fechados com as plataformas YouTube e Netflix contribuíram para o crescimento de 72% no valor distribuído, assim como a maior conscientização dos clientes desse segmento sobre o pagamento do direito autoral.

Direitos de autor e conexos

De todos os valores distribuídos em 2018, 76,4% foram repassados aos titulares de direitos de autor. Já a parte conexa recebeu 23,6% do montante. O direito de autor contempla os compositores e as editoras musicais e é pago sempre que existe a execução de uma música. Já os direitos conexos são devidos quando é utilizada uma gravação (fonograma), como em rádios e televisão. Nesse caso, além dos compositores e editoras, também são remunerados os intérpretes, músicos e gravadoras.

Artistas nacionais em destaque

Nas plataformas de streaming e nas rádios, os compositores sertanejos dominam os rankings de autores com maior rendimento. A cantora e compositora Marília Mendonça (“Infiel”) lidera a lista das plataformas digitais de áudio, seguida por Thales Lessa (“A mala é falsa”) e Juliano Tchula (“Cuida bem dela”).

Já no segmento de Música ao Vivo, que considera o que foi tocado em bares e restaurantes, Thallys Pacheco (“O nosso santo bateu”) tem a companhia de nomes tradicionais da MPB como Djavan, Renato Russo, Lulu Santos e Tim Maia.

Artistas da música receberam quase R$ 1 Bilhão de direito autoral em 2018

A setor movimentou R$ 209,2 bilhões no ano de 2018 e representou 4,3% do PIB nacional.

Atuando no mercado de eventos há mais de 10 anos acompanhei muitos momentos, e posso dizer que a expectativa para 2019 é alta.

Os eventos no Brasil têm um papel importante na economia. Segundo uma pesquisa de 2013 da Associação Brasileira de Empresas de Eventos, o setor movimentou R$ 209,2 bilhões no ano e representou 4,3% do PIB nacional.

Embora os últimos anos não tenham sido de grandes comemorações, o segmento ainda tem destaque no País pela diversidade de negócios que orbitam ao redor. Variam de empresas de diferentes setores e tamanhos até novos produtos. Para cada pequena ação, temos uma infinidade de fornecedores e serviços.

Com base nessa receita, temos um cenário favorável para este ano. Uma outra pesquisa feita pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB) e a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas mostra que 77,3% do mercado espera crescer em vendas em 2019 e 41,2% dos profissionais afirmam que terão as verbas de marketing ampliadas.

Como se destacar nesse cenário de tantas oportunidades?

Eu venho defendendo, com conhecimento de causa, que a capacitação e a especialização do serviço oferecido faz a diferença na entrega. Essa receita vale para qualquer produto.

Para ser referência você precisa ter um diferencial nesse mercado.

O mercado é amplo, assim como a número de concorrentes. Não é só ganhar novos clientes e estar em um número maior de eventos, é importante estar com qualidade. Sem qualidade, desde o atendimento até o resultado final, não há destaque e evolução.

Estamos no momento, onde cada pessoa quer ter uma experiência diferenciada. Para produzir essa experiência aos seus clientes finais ou aos shoppers, cada produto, evento, marca, precisa estar conectada com suas expectativas e o feedback positivo que ele pode oferecer.

Devemos criar algo que dê valor agregado. É necessário buscar a excelência em seus serviços e utilizar novas tecnologias a seu favor. Usar ferramentas e fornecedores que otimizam o tempo, mostrando resultados e focando no que importa: o retorno positivo de uma ação promocional ou evento.

A importância da qualidade no serviço

Serviços são muitas vezes mais difíceis de administrar. Temos uma variável de possibilidades que contam, inclusive, com a atuação humana.

Os profissionais a serem contratados nesse mercado precisam ser preparados para as situações e saber contornar os problemas. Os treinamentos de postura, apresentação do produto, esclarecimento de dúvidas, argumentação são fundamentais para explicação dos produtos ou serviços oferecidos.

Outra dica importante é investir na experiência. Ter entre a equipe um profissional com mais experiência fará a diferença em situações de conflito que sempre podem acontecer em locais públicos.

Invista na equipe que vai atender seu cliente. Ofereça boas condições de trabalho, crie ações de relacionamento com eles. O resultado da entrega será muito melhor e o seu cliente vai perceber isso.

A expectativa no mercado de eventos para 2019