Com a medida, restarão menos de 3 milhões de Bitcoins para serem emitidos até 2140.

Nesta sexta-feira, 18 de outubro, um novo marco será estabelecido para a principal criptomoeda do mercado. A partir deste dia, 18 milhões de Bitcoins terão sido minerados desde o lançamento da criptomoeda em janeiro de 2009.

Com a medida, restarão menos de 3 milhões de Bitcoins para serem emitidos até 2140. A menos de oito meses do halving, o corte da recompensa do bloco, o Bitcoin torna-se mais escasso. E cada vez mais demandado em um mundo cheio de distorções.

Restam apenas 3 milhões de BTC

A mineração do Bitcoin de número 18 milhão foi tema de uma mensagem do investidor e cofundador da empresa de investimentos Morgan Creek Digital Assets Anthony Pompliano. Por meio de sua conta no Twitter, Pompliano também observou que, a partir deste momento, existirão apenas três milhões de BTC a serem minerados. O investidor aproveitou a mensagem para fazer um apelo aos seus seguidores: aprendam mais sobre a criptomoeda.


Pompliano é um dos maiores entusiastas do Bitcoin. Em uma entrevista ao programa Squawk Box da CNBC, ele afirmou que mais da metade de seu patrimônio líquido está em Bitcoin. O que ele sugere é que até agora 17.997.150 BTC foram minerados – de acordo com o site de dados sobre o Bitcoin BitcoinBlockHalf – e o limite superior para quantos BTCs serão codificados no sistema é de 21 milhões.

Por sua natureza genuinamente escassa (a produção de Bitcoins não pode ser aumentada além do programado pelo código) – e pela alta demanda em potencial – a tendência é que o preço do criptoativo responda aos movimentos do mercado. E um dos mais aguardados está marcado para 2020.

O corte de recompensa

À medida em que o número de criptomoedas que ainda podem ser obtidas pela mineração do Bitcoin continua a diminuir, o corte de recompensa na rede também se aproxima. O halving verá a quantidade de Bitcoins criados a cada novo bloco ser cortada pela metade.

O BitcoinBlockHalf estima que o próximo halving ocorrerá em 14 de maio de 2020 – a data é provisória, dada a irregularidade de tempo na criação dos blocos. Quando ocorrer, a recompensa do bloco será reduzida dos atuais 12,5 para 6,25 Bitcoins. O site também aponta que 85,7% de todas as criptomoedas já foram mineradas.

À medida em que o número de moedas que ainda precisam ser extraídas diminui, a competição para se apossar delas aparentemente aumenta. Isso influencia na taxa de hash da rede do Bitcoin, que vem quebrando recordes a cada dia. Recentemente, o hashrate da rede ultrapassou um recorde de 102 quintilhões de hashes pela primeira vez na história da criptomoeda.

18 milhões; Bitcoin ficará mais escasso a partir desta sexta-feira